Trabalhar ou estudar para concursos públicos? Este é um dilema de milhares de pessoas no Brasil.

Candidatos de concursos públicos quase sempre precisam lidar com a falta de tempo para estudar e, hora ou outra pensam em pedir demissão do trabalho para se dedicar aos estudos.

É uma decisão delicada que exige calma, e também organização. Isso porque quem pretende pedir demissão precisa otimizar o seu tempo em casa para que todo estudo de fato tenha efeito.

Mas vale a pena?

Á primeira vista ter muito mais tempo para estudar parece perfeito. Porém, caso o candidato não esteja maduro o suficiente, ele pode deixar todo esse tempo escorrer pelas mãos e não ter o aproveitamento necessário.

Além disso, é preciso ter uma visão prática dessa possibilidade: como se sustentar até a aprovação?

Eu consigo me dedicar aos estudos para concursos na minha casa todos os dias, por horas a fio?

Todas essas perguntas devem ser feitas na hora do planejamento, e devem ser respondidas da forma mais sincera possível.

Às vezes, a opção parece ser boa, mas não condiz com a realidade do candidato.

Aspectos positivos:

Será possível se planejar corretamente para estudar. Por exemplo: o candidato pode estudar 9 horas por dia, com 3 turnos de 3 horas, pausas de 15 minutos no meio dos turnos e uma longa pausa entre eles.

Esse ritmo é muito produtivo e ainda dá tempo para o candidato descansar, além de deixar o final de semana livre.

Por dar esse espaço de descanso, pode-se levar essa rotina pelo tempo necessário sem se desgastar muito. Contudo, essa rotina é muito difícil de ser seguida quando se está trabalhando.

Aspectos negativos:

Como dito anteriormente, se o candidato não tem toda disciplina necessária, sair do emprego não vai ajuda-lo em nada.

Se quando o despertador tocar, a vontade de compensar mais tarde aparecer, ou a televisão parecer mais interessante do que os estudos, ele pode acabar se prejudicando, gerando um sentimento de culpa que pode desanima-lo a voltar à rotina de dedicação.

Além disso, o dinheiro pode começar a atrapalhar. Sua falta ou a cobrança – se alguém estiver “incentivando”- pode deixar o clima tenso.

Trabalhar ou estudar? Pense alternativas

Servidores públicos e alguns trabalhos mais liberais permitem ao funcionário pedir licença não remunerada. É uma boa alternativa, caso a aprovação demore a vir, o emprego continua lá.

Tentar negociar uma redução da carga horária também pode ser uma alternativa. Se você trabalha 9 ou 10 horas por dia, talvez consiga negociar e trabalhar apenas meio período – provavelmente o salário também sofrerá alteração, mas a renda fixa ainda existe.

Nesse caso, o candidato pode ficar mais cansado e demorar um pouco mais para passar no tão sonhado concurso, mas é uma opção real para quem não tem como ficar sem renda por meses.

Férias pode ser um período de teste para ver se você se adapta a rotina em casa. Caso a opção de pedir demissão não seja possível, pedir férias um mês antes da prova também pode ajudar muito – um mês de intensa dedicação faz toda a diferença.

Para você tomar a decisão mais acertada possível, não deixe de seguir as dicas das maiores Fan Pages sobre concursos. Sucesso!

 

Acrescente um comentário