Demitido e agora? Saiba as reações, sensações e sentimentos mais comuns das pessoas após a rescisão de contrato.

Após passar um período vivendo a rotina de um emprego, o trabalhador pode ter alguns “traumas” após a demissão.

Principalmente nas demissões sem justa causa e sem aviso prévio, pois a surpresa é maior e a mudança é repentina.

Médicos e especialistas em psicologia não classificam a chamada “síndrome pós-demissão” como um problema patológico.

Menos mal, é bom saber que estes “traumas” não são reconhecidas como doenças e algumas reações são comuns.

10 reações de um demitido

Pois bem, se você foi mandado(a) embora da empresa, saiba que você não é o(a) único(a) a reagir assim:

1. Arrependimento de decisões passadas

Quem foi demitido agora pode suscitar pensamentos de que deveria ter atitudes e comportamentos diferentes, passa a ter a ideia que de alguma forma poderia evitar a demissão.

2. Sentimento de inutilidade

O desemprego e insucesso na busca de um novo emprego faz com que muitas pessoas se sintam inúteis e desvalorizadas.

3. Diminuição de vínculos e contatos

Muitos contatos existiam em virtude do vínculo empregatício, do status da função ou de obrigações com os colegas de trabalho.

Após o rompimento, poucos continuarão próximos e, ainda assim, o contato pode ser frio e se resumir a cumprimentos em redes sociais.

4. Questionamento sobre o “cargo de confiança”

Após ser demitido de um emprego no qual o cargo era “de confiança”, a sensação de inutilidade é agravada.

Será que os diretores da empresa realmente tinham tanta confiança assim?

Pois é, o tal cargo “de confiança” não protege funcionário algum, inclusive você!

Depois de te demitirem, este cargo poderá ser extinto ou talvez continue sendo “de confiança”, com outro contratado.

5. Enclausuramento

Os dias e meses após a demissão podem ser de isolamento total. Muitos reagem não querendo ver ninguém e nem mesmo sair de casa para procurar vagas de emprego.

6. Descuido com a saúde

O isolamento pode ser acompanhado de um descuido com a saúde, afastamento da prática de exercícios físicos e passeios que fazem bem ao corpo e à mente.

7. Falta ou aumento de apetite

Por se isolar, muitos perdem a vontade de se alimentar nas horas corretas e até perdem o apetite.

Outros podem reagir de forma contrária, se alimentando compulsivamente, por causa da ansiedade do momento.

8. Pânico de chamadas telefônicas

Quem foi muito solicitado em seu emprego anterior, possivelmente respondeu muitos e-mails e atendeu muitas chamadas telefônicas.

Pode ocorrer, após a demissão, de ter resistência em atender o celular, por causa das lembranças de problemas que eram resolvidos nas ligações na empresa.

9. Autodefesa e sentimento de culpa

O momento é delicado e nele é possível que a pessoa passe a querer “se blindar” de notícias igualmente negativas.

Por isso pode ser comum querer se defender de tudo o que as pessoas falam.

Outro provável reflexo pós-demissão é o sentimento de ter uma culpa (que não existe) pela situação.

10. Vergonha e afastamento da realidade

A vergonha com a situação e negação da realidade é o que faz os desempregados viver quase todos os reflexos (traumas e síndromes) ao mesmo tempo.

Encarar a realidade é uma das melhores formas de evitar prejuízos maiores.

Conheça as 6 atitudes após demissão que você precisa ter.

 

Acrescente um comentário